Câmara promove sessão especial sobre Dia Mundial da Conscientização do Autismo

08 abr
Por: David 0 0

Câmara promove sessão especial sobre Dia Mundial da Conscientização do Autismo

A Câmara Municipal de Nossa Senhora do Socorro realizou sessão especial na manhã desta quinta-feira 04 de abril para marcar a passagem do Dia Mundial da Conscientização do Autismo. O assunto foi tratado da Tribuna com depoimentos de professores, pais de alunos assistidos, Conselho Municipal dos Direitos da Pessoa com deficiência, diretores de creches e escolas municipais, APAE e de socorrenses que lotaram as galerias.

A principal palestra foi da Secretária Municipal de Educação professora Josevanda Mendonça Franco, que está comandando a pasta desde de janeiro deste, quando foi implantado o trabalho de diagnóstico para saber o número de crianças e adolescentes com necessidades especiais dentro do município de Nossa Senhora do Socorro.

“No início dos trabalhos a gente estimava que encontraríamos de 230 a 250 crianças e adolescentes na condição de educação especial. O diagnóstico ainda não está completo e já passamos dos 430. Isso não é um quantitativo irrelevante e temos que observar de forma mais contundente. É preciso entender que a educação especial não é um apêndice da educação básica. Ela é a própria educação básica”, explanou a professora.

Na tese da professora Josevanda crianças e adolescentes com necessidades especiais não estão na escola apenas do ponto de vista da condição de sua aprendizagem. O processo educacional tem que estar atento ao desenvolvimento do aluno de forma individual. Por isso o aprimoramento do trabalho de educação inclusiva das crianças e adolescentes assistidas. “Neste sentido, nós temos trabalhado para tornar uma educação especial aqui em Nossa senhora do Socorro, que possa contemplar todas as demandas e necessidades. Este ano fizemos uma ‘busca ativa’ para que a gente tivesse a dimensão de quantas crianças e adolescentes que pertenciam a educação especial, estavam fora da escola” afirmou.

A secretária de educação, chamou a atenção para o fato da falta de capacitação dos professores formados no século passado, quando ainda não existia uma política de direito especial de educação. “A grande maioria dos nossos profissionais são formados no século XX, quando crianças especiais não eram reconhecidas como sujeito de direito. Essa sujeição de direito teve 1990 com o Estatuto da Criança e do Adolescente e vem sendo aprimorada para aumentar a inclusão. Este novo olhar é característico do século XXI. Nós temos escolas do século XIX e professores do século XX”, completou.

A sessão especial foi comandada pela presidente da Câmara Municipal Maria da Taiçoca e teve pronunciamentos de Anair Santos Viana de Jesus – Presidente da APAE/Socorro; Dayse Gonçalves diretora da Creche Vovô Jason; Juliana Silva Araripe – Professora da sala regular da Escola Municipal Professor Donald; Lívia Alves Oliveira – Professora de Atendimento Educacional Especializado na Escola Municipal Nossa Senhora do Socorro; Maria Dalvani Santos – mãe de aluno Icáro dos Santos Dantas; Néclea Dantas Carvalho – Psicopedagoga; Rosimeire Oliveira Pimentel – mão do aluno Pedro Jorge de Oliveira Pimentel e Samuel Fernandes Mota da Cunha – Presidente do Conselho Municipal dos Direitos da Pessoa Deficiente.

 

Acessibilidade