Alan Mota cobra transporte escolar para universitário e fiscalização nos blocos de carnaval

20 fev
Por: David 0 0

Alan Mota cobra transporte escolar para universitário e fiscalização nos blocos de carnaval

O vereador Alan Mota fez uso da tribuna da casa na sessão desta terça-feira 19, para levantar debate sobre duas pautas. Primeiro Mota levou ao conhecimento dos pares e de todos presentes à sessão, reivindicação dos estudantes universitários do município de Nossa Senhora do Socorro que fazem uso do transporte escolar, para que o serviço seja mantido pela secretaria de Ação Social do município. Segundo o vereador, os critérios garantidos por lei, não estão sendo respeitados na avaliação para saber quem tem direito prioritário ao transporte escolar, afirmando ainda que alguns estudantes foram cortados da lista e estão sendo prejudicados. “Por lei que foi aprovada por esta casa, os cotistas, os bolsistas e aqueles que estão fazendo o primeiro curso têm prioridade nas vagas do transporte escolar universitário mantido pelo município e isto não está sendo cumprido. Não se pode fazer economia prejudicando estudantes que já sofrem com dificuldades financeira”, denunciou o vereador, ao tempo em que alertou para uma mudança na lei para que o transporte escolar universitário seja disponibilizado para todos que precisam.

Outro assunto levantado pelo vereador Alan Mota foi a segurança nos eventos carnavalescos que serão realizados no município de Nossa Senhora do Socorro. Mota alertou que o município através das secretarias competentes tem que exigir o a legalização. “Eu estava assistindo televisão e vi reportagem que apontavam vários problemas graves de violência em Itabaiana e aqui em Socorro em festa realizada no Fernando Collor, nos bloquinhos de Aracaju. São problemas que vão desde menores comprando e consumindo bebidas alcoólicas, drogas e a violência” denunciou Mota, alertando que está solicitando todos os ofícios pedindo liberação e autorização para realização de eventos carnavalesco. “Quero saber se estes eventos estão dentro das norma exigidas pelo Ministério Público, Defesas Civil, Copo de Bombeiros e de todos os órgãos que fiscalizam os eventos públicos”, indagou Alan Mota.

Acessibilidade